Testemunho da Vida real 7 – Injustiça dos Tribunais

Fogo pá, hoje estou mesmo arreliada com esta merda, então uma gaja mete-se debaixo de um gajo casado só porque têm dinheiro, fica grávida, resolve ter o filho até aqui tudo bem, não fora a dita cuja não querer saber dele para nada e vai dai anda metida com meia Vila Franca de Xira, sempre homens casados, porque assim a chantagem funcionava melhor e lá iam caindo uns dinheiritos que era o que ela queria, mas passando à frente a dita deixa o filho com as vizinhas e abala para Espanha, entrega-o à mãe dela que não tinha capacidades nenhumas e a quem já tinham retirado os filhos, enfim depois de muitas peripérias à gaja lá consegue dar a volta a um marmanjo casado (enquanto o velho dono da sapataria lhe pagava as fèrias) e faz com que o gajo se separe e vá viver com ela, enquanto isto o filho que ela tanto queria andava aos pontapés, entre vizinhas, infantários e sabe-se lá mais o quê. É deste filho e do pai que eu Vos venho falar.O pai deste menino que por sinal também é primo confusos né, não estejam eu explico, a gaja é prima direita do pai e sabendo que ele era casado mesmo assim marchou e continuou a marchar durante muito anos sim porque cada vez que o pai ia ver e dar dinheiro para o filho a gaja lá lhe dava a volta para mais uma queca , os problemas começaram quando ele deixou de dar quecas com ela, vai dai mete-o em tribunal para requerer a paternidade e exigir em vez de 150 euros que o pai dava desde que o filho nasceu 250 euros e vai dai o tribunal que não deve ter reparado que ele tinha mais 4 filhos dois deles aquém já pagava pensões de alimentos de 150 euros a cada um resolve armar-se em benemérito e resolveu atribuir a este os 250 euros de pensão, talvez porque a coisa da gaja fosse de ouro e a das outras de latão, mas não julguem que a saga fica por aqui. O pai resolve dar-lhe os 150 euros em vez dos 250 estipulados e a gaja aceitou sempre sem passar recibos, chegava a vir de táxi de Vila Franca para vir buscar o dinheiro sim porque cheques não lhe davam jeito, entretanto ao fim de 5 anos sem avisar ninguém resolve ir para o Luxemburgo trabalhar e mais uma vez volta a deixar o filho com uma vizinha, o pai quando vai para o ir ver, vem a saber da situação e leva-o para a casa dele , ao fim de um mês a gaja resolve dar noticias dizendo que chegava no dia a seguir e ia almoçar com o filho, ora almoçou e foi-se embora dizendo que voltaria em Agosto para o levar, bem dito bem feito levou-o e a partir dai durante um ano ninguém soube nada dela nem do filho. Ao fim de um ano telefona para o pai do filho e diz opá já cá estou, tens o dinheiro para me dar e ele responde mas qual dinheiro, não vi o meu filho nem soube nada dele durante um ano e agora queres dinheiro? Sim tens que me dar 1.800 euros, e ele responde tás mas é maluquinha ia roubar para te dar, ai não das então tá bem vou para tribunal..E a gaja foi chegou ao tribunal e disse que a maior parte dos meses ele não lhe tinha dado dinheiro e ele disse que era falso só não lhe tinha dado aquele ano, mas a juiza em vez de pedir provas a ela do que tinha alegado não queria que as provas fossem dadas por ele, ora ele só tinha algumas fotocopias dos cheques porque mais sabia a gaja que a maior parte dos meses tinha sido em dinheiro, resumindo a dita mula exigiu 36.000 euros, penhorou os bens todos dele, foi obrigado a vender um imóvel ao desbarato para lhe dar o dinheiro, será que a sra juíza esta boa da cabeça, porque não lhe perguntou a ela porque razão ao fim de 10 anos resolveu meter uma acção em tribunal para reivindicar as prestações devidas, sim porque não meteu logo ao fim de 2 ou 3 meses? e porque não lhe perguntou a juíza se ela tinha feito o mesmo ao pai do filho mais velho que ela abandonou e foi criado pelos avós, claro que não fez por um simples motivo o pai do filho mais velho não tinha dinheiro, nem bens para ela roubar.
O que eu espero é que o dinheiro não se lhe aproveite, o que eu tenho quase a certeza que vai acontecer, sim porque maluca como ela é, só tenha pena é que no fundo o filho não vai beneficiar nada, nem lhe vai ver a cor e a herança dele já a tem ………
Resumindo homens cuidado poderão ser os próximos……

Anúncios

2 thoughts on “Testemunho da Vida real 7 – Injustiça dos Tribunais

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s